Trajeto



O comando Trajeto cria a trajetória do veículo tipo selecionado, mostrando a superlargura necessária para fazer manobras

Os veículos são armazenados na pasta "./VEICULOS/" que ven na instalação do TBN2NET

Basicamente os veículos devem ser descritos assim:
[0]
TRAZ = -4.32
ENGATE = -3.20
0 = -5.65,1.27
1 = 1.41,1.275
2 = 1.41,-1.275
3 = -5.65,-1.275

[1]
TRAZ = -9.7
ENGATE =
0 = 1.85,1.325
1 = -12.55,1.325
2 = -12.55,-1.325
3 = 1.85,-1.325

Entre colchetes está um número sequencial, que corresponde aos corpos do veículo, sendo [0] o cavalo, ou veículo trator.
Os demais [1], [2]... são as carretas, ou articulações.
Cada articulação é descrita por uma posição de engate e uma posição de eixo trazeiro, mais um polígono que o delimita, sendo que a origem das coordenadas está em seu engate ou posição do eixo dianteiro.
O exemplo de veículo acima é desenhado da seguinte forma:



Perceba que a carreta não reboca uma segunda carreta, por isso o parâmetro "ENGATE" está em branco. Caso rebocasse, era só adicionar uma outra sequencia de articulação, por exemplo:
[0]
TRAZ = -4.32
ENGATE = -3.20
0 = -5.65,1.27
1 = 1.41,1.275
2 = 1.41,-1.275
3 = -5.65,-1.275

[1]
TRAZ = -9.7
ENGATE = -11.0
0 = 1.85,1.325
1 = -12.55,1.325
2 = -12.55,-1.325
3 = 1.85,-1.325

[2]
TRAZ = -9.7
ENGATE = 
0 = 1.85,1.325
1 = -12.55,1.325
2 = -12.55,-1.325
3 = 1.85,-1.325

Perceba que o polígono do veículo pode ser qualquer figura descripa pelas suas coordenadas em relação ao seu engate frotal, ou eixo dianteiro.

Ao analizar o cruzamento abaixo, percebemos que a carreta do exemplo sobe o meio fio, caso o cavalo descreva a trajetória marcada pela linha vermelha: