Apresentação


Para atender a crescente demanda de projetos de terraplenagem de obras lineares, como rodovias e ferrovias, o Diagrama de Bruckner começa a se tornar inviável, tendo em vista que levantamento de sondagens mais apurados são executados.

Por exemplo, num projeto de ferrovia, são executadas sondagens nas encostas e na plataforma, afim de determinar o CBR, ou ISC (Índice de Suporte Califórnia), bem como os limites de liquidez, plasticidade, expansão, fator de homogeinização, etc.

Sendo assim, as ofertas de materiais são classificados principalmente pelo seu CBR e pela expansão. No cenário proposto acima, o fator de homogeinização pode ser diferente para materiais provenientes de cortes de encostas ou cortes na plataforma ou subleito.

Já as demandas de materiais dentro do projeto também passam a ter exigências de caraterísticas. Por exemplo, o dimensionamento da superestrutura ferroviária costuma arbitrar uma altura de lastro e sublastro com características fixas. Como o subleito pode ter características desejáveis ou não, adota-se reforço do subleito, que é calculado com altura suficiente para entregar ao subleito cargas admissíveis ao solo.

Pensando nestas dificuldades, o programa DDM, vem como uma opção para solução deste problema.


Neyton Luiz Dalle Molle
Engenheiro Civil
[email protected]
https://tbn2.blogspot.com
https://tbn2net.com
whatsapp: +55 41 98884 3044
skype: [email protected]